BLOG Ocupacional

Categorias

Filtrar posts por data

Qual a importância da CAT?

15 de outubro de 2021

Para além de uma simples obrigação legal, documento contribui para a garantia de direitos e implementação de políticas de prevenção.

Sempre que um trabalhador se acidenta em decorrência das atividades realizadas, a empresa deve informar o caso para Previdência Social utilizando a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT). Este documento vai muito além de uma simples obrigação legal, com impactos positivos para garantir os direitos dos empregados e dos empregadores.

Antes de falar sobre isso, precisamos entender o que é um acidente de trabalho. A Lei nº 8.213/1991 estabelece que eles ocorrem quando o trabalhador sofre uma lesão corporal ou uma perturbação funcional que cause morte, perda ou redução permanente ou temporária das capacidades laborais. Além disso, doenças profissionais (causadas pela própria atividade) e do trabalho (geradas pelas condições especiais a que o funcionário é submetido) também são caracterizadas como acidentes de trabalho.

O comunicado deve ser enviado até o primeiro dia útil após a ocorrência, sob pena de multas. No caso de mortes, a comunicação deve ser imediata. Há uma série de questões legais que devem ser observadas pelas empresas, mas, para mais detalhes sobre o funcionamento da CAT na prática, leia nosso post sobre o assunto.

Importância da CAT para a empresa

Muitas companhias ainda encaram a emissão da CAT como um tabu, pois acreditam que é uma burocracia que pode atrapalhar o cálculo do Fator Acidentário de Prevenção (FAP) ou que é um atestado de culpa sobre o caso. Isso é ainda mais intenso em acidentes com afastamento inferior a 15 dias, que não exige atuação direta do INSS. No dia a dia, porém, essas premissas não se sustentam.

O documento é uma forma de mapear as ocorrências para criar programas de prevenção adequados, além de uma possibilidade para investigar o caso e determinar as responsabilidades diante do ocorrido. Pode ser um caso de negligência da companhia, por exemplo, mas também pode haver culpa exclusiva do acidentado. Até mesmo porque, para a Justiça, a empresa só é considerada responsável quando há dolo ou culpa no acidente.

Diversos órgãos governamentais também se beneficiam da correta emissão da CAT, pois podem utilizar os dados estatísticos para definir políticas sanitárias e epidemiológicas, que afetam toda a sociedade. 

Além disso, a empresa que não emitir a CAT descumpre a legislação e pode sofrer multas que variam entre o limite mínimo e máximo do salário de contribuição, sucessivamente aumentadas nas reincidências. As penalidades podem transitar entre R$ 670,89 e R$ 6.708,88.

Leia também: Quando as empresas devem emitir a CAT?

Importância da CAT para os empregados

Além de ser uma questão legal, ter acesso à Comunicação de Acidente de Trabalho é uma comprovação do caso e uma garantia de que os direitos do trabalhador serão respeitados. É com esse documento que ele poderá dar entrada ao pedido de benefícios previdenciários, como assistência acidentária ou a aposentadoria por invalidez.

Mesmo se a empresa se recusar a emitir a CAT, o próprio trabalhador pode entrar com o pedido. Para isso, basta procurar um hospital credenciado do INSS e comunicar a ocorrência. Além disso, a entidade sindical, uma equipe médica e autoridades públicas também podem efetuar o registro formal do documento. Nesses casos, a chance de a empresa ser multada por omissão são altas.

Leia também: É preciso emitir a CAT para Covid-19?

Assessoria técnica qualificada

A emissão da CAT é um ponto essencial dentro da área de Saúde e Segurança do Trabalho. Para que isso seja feito de acordo com o que preza a legislação, contar com o apoio de uma assessoria de confiança e com renome no mercado, como a Ocupacional, é o diferencial que faltava. Entre em contato e veja como podemos te ajudar!

Categorias

Filtrar posts por data

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba no seu e-mail as novidades da Ocupacional e do mercado de medicina e engenharia de segurança do trabalho.